O site de RedCLARA usa cookies para te oferecer a melhor experiência possível na web.

Ao continuar a usar este site, você concorda em que armazenemos e acessemos cookies em seu dispositivo. Por favor, certifique-se de ler a Política de Cookies. Learn more

I understand

Redes Acadêmicas de Brasil, Chile, Equador, México e RedCLARA, criam o Grupo de Cibersegurança das Redes de Pesquisa e Educação da América Latina

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Por ocasião da cerimônia do encerramento da Conferência TICAL2021, no último dia 2 de setembro, os Diretores Executivos de CEDIA (Equador), CUDI (México), REUNA (Chile) e RNP (Brasil), com a convicção mútua de que a Segurança da Informação é de grande valor para as instituições, assinaram junto a RedCLARA um Memorando de Entendimento (MoU) para a criação do Grupo de Segurança Cibernética de NRENs da América Latina.

 

O acordo visa “facilitar a implementação de atividades específicas, com o objetivo de estabelecer os requisitos mínimos para a identificação, estabelecimento, coordenação, desenvolvimento e implementação do Grupo de Cibersegurança, através da colaboração entre as redes membros da RedCLARA na área de Segurança da Informação e Cibersegurança”.

As cinco redes signatárias - CEDIA, CUDI, REUNA, RNP y RedCLARA- comporão inicialmente o Comitê de Coordenação do Grupo, com o objetivo de chegar a acordos sobre os princípios e condições sob os quais a cooperação para a criação e implementação do Grupo de Cibersegurança será realizada, e sobre a inclusão de novas redes membros da RedCLARA.

De acordo com o MoU, a cooperação poderá ser realizada por meio de planejamento de projetos conjuntos, acoplamento de desenvolvimentos na área de Segurança da Informação e Cibersegurança, certificação de Cibersegurança para instituições membros das NRENs membros da RedCLARA, desenvolvimento de ferramentas e serviços de segurança cibernética, programas de treinamento e conscientização em segurança cibernética e alianças com organizações e fabricantes, entre outros. O Grupo também poderá incorporar outras linhas de ação que considere importantes e úteis para as redes membros da RedCLARA.

Veja o que cada um dos diretores disse sobre a assinatura do acordo:

Luis Eliécer Cadenas, Diretor Executivo da RedCLARA: “A assinatura deste acordo me lembra aquela que fizemos em TICAL2020, para a criação da Rede Universitária de Telemedicina da América Latina (RUTE), que, como vimos, está dando resultados importantes. O MoU reflete o valor que damos à segurança de nossas redes e o que isso significa como oportunidade, serviço e apoio à comunidade à qual servimos.”

Paola Arellano, Diretora Executiva de REUNA (Chile): “Tive a sorte de participar de TICAL-SEC, o track de Segurança desta edição de TICAL, e além de reconhecer o progresso que está sendo feito, que é muito importante, é impressionante ver as oportunidades que estão sendo abertas e a responsabilidade que nós temos enquanto redes avançadas. Este acordo representa um próximo passo muito importante na consolidação destes grupos de trabalho e no apoio que devemos dar a eles. Trabalhando juntos podemos fazer muito mais. Eu celebro este MoU! Estou muito feliz e espero que novas redes se juntem a esta iniciativa”.

Nelson Simões, Diretor Executivo de RNP (Brasil): “Acredito que temos desafios de segurança, assim como desafios conjuntos em termos de identificação de talentos humanos e aproveitamento das oportunidades que possamos ter em nossos sistemas nacionais de educação, pesquisa e inovação e, provavelmente, também de segurança cibernética. Acho que o trabalho de RedCLARA é chamar a atenção para reunir esforços para esta iniciativa. Isso será muito importante para todos nós. Estamos mostrando que nos importamos e que temos algo que nos diferencia de outras iniciativas, no sentido de que temos neutralidade e o uso calculado de desenvolvimentos comuns para o bem público que alcança nossas comunidades, mas também à sociedade como um todo”.

Juan Pablo Carvallo, Diretor Executivo da CEDIA (Equador): “Como disse Paola, estou extremamente feliz por assinar este acordo de colaboração, mais um, e isso está se tornando um grande hábito na RedCLARA, de aprender uns com os outros. Aprendemos com o Brasil, por exemplo, que nos apoiou na criação do nosso CSIRT. Depois tivemos a oportunidade de compartilhar nossa experiência com REUNA, de Paola, e também o fizemos com Casasús no México. Esperamos continuar nessa dinâmica, que, na minha opinião, é a razão de ser das NREN: não somente receber serviços e suporte, mas também acompanhar os demais parceiros no seu desenvolvimento e crescimento. Assim nos apoiamos como um todo. Estou muito feliz com a assinatura deste acordo que certamente nos enriquecerá e fortalecerá a todos na região.”

Carlos Casasús, Diretor Executivo de CUDI (México): “O fornecimento das ferramentas que implementamos coletivamente nas redes para proteger o tráfego que nelas transita e, por último, a possibilidade de fazer alianças com um grande número de empresas que fornecem segurança para aproximá-las das universidades, apoiando o poder de compra de todos nós, terá um impacto dramático. Se as redes nacionais de educação simplesmente se tornarem um ambiente seguro e as universidades começarem a confiar que estarem associadas às NRENs de seus países lhes permitirá criar um entorno mais seguro do que a Internet comercial, isso dará um novo motivo para participar em nossas associações. Devemos continuar nesse papel de criar bens públicos regionais; somos uma força cooperativa como poucas no mundo”.

A princípio, o MoU terá validade temporária de dois anos e espera-se que nos próximos meses todas as redes membros da RedCLARA se inscrevam.