O site de RedCLARA usa cookies para te oferecer a melhor experiência possível na web.

Ao continuar a usar este site, você concorda em que armazenemos e acessemos cookies em seu dispositivo. Por favor, certifique-se de ler a Política de Cookies. Learn more

I understand
BELLA-T (Building the European Link to Latin America - Terrestrial)

BELLA-T (Building the European Link to Latin America - Terrestrial)

Início: 01 de junho 2016
Fundo: O financiamento de BELLA-T é assegurado pela União Europeia através da DG-DEVCO e pelas Redes Nacionais de Pesquisa e Educação da América Latina. DG-DEVCO: 8 milhões de euros; RNIEs latinoamericanas - em dinheiro e em espécie.
Objetivo Geral: Propiciar melhorias significativas e duradouras na rede sul-americana, permitindo a RedCLARA garantir o acesso pleno e igualitário das redes de pesquisa e educação latinoamericanas à capacidade que será adquirida por meio do cabo submarino direto entre Europa e América Latina. Este objetivo será alcançado por meio da modernização do backbone de RedCLARA na América do Sul, o que permitirá a implantação de uma rede óptica, gerando sinergias com as redes da região através de maior capilaridade e eficácia.

Parceiros: DFN (Alemanha), FCT (Portugal), GARR (Itália), RedIRIS (Espanha), RENATER (França), GÉANT (Europa). CEDIA (Equador), RENATA (Colômbia), REUNA (Chile), RNP (Brasil), RedCLARA (América Latina - Instituição Coordenadora).

Objetivos específicos:
  1. Criar um backbone óptico na América do Sul, conectando as cidades de Fortaleza, São Paulo e Porto Alegre (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Santiago (Chile), Guayaquil (Equador), Bogotá (Colômbia), Cúcuta (Colômbia e Venezuela) e Cartagena (Colômbia).
  2. Potencializar a sinergia entre RedCLARA e as RNIEs da América do Sul, aproveitando-se do fato de que o backbone terrestre proposto por BELLA atravessará várias cidades em cada um dos países envolvidos, possibilitando a partilha da mesma infraestrutura óptica para melhorar a capilaridade e reforçar a rede nacional.
  3. Formar o capital humano necessário para a implantação, manutenção e exploração de redes ópticas, partilhando conhecimentos especializados, formando novas equipes e reforçando as redes de cooperação entre as RNIEs, o que é fundamental para o bom funcionamento e exploração da rede óptica proposta.
  4. Garantir a sustentabilidade da infraestrutura óptica criando um novo modelo financeiro para RedCLARA. Este deve levar em consideração as novas possibilidades regionais e os menores custos oferecidos pelo acesso transatlântico direto às redes de pesquisa e educação em todo o mundo, bem como à Internet de commodities.
  5. Sensibilizar os usuários sobre as possibilidades abertas pela implantação desta nova instalação, explorando as sinergias entre os principais grupos de utilizadores, divulgando casos de uso e favorecendo o intercâmbio de informação entre usuários de toda a região e entre estes e seus parceiros europeus.